info
Sátão
line
foto Sátão

O concelho de Sátão, do distrito de Viseu, localiza-se na Região Centro (NUT II), no Dão-Lafões (NUT III). Ocupa uma área de 202 km2 e abrange 12 freguesias: Águas Boas, Avelal, Decermilo, Ferreira de Aves, Forles, Mioma, Rio de Moinhos, Romãs, São Miguel de Vila Boa, Sátão, Silvã de Cima e Vila Longa.
O concelho apresentava, em 2005, um total de 13 342 habitantes.
O natural ou habitante de Sátão denomina-se satanense ou satense.
O concelho encontra-se limitado a norte pelo concelho de Moimenta da Beira, a nordeste por Sernancelhe, a noroeste por Vila Nova de Paiva, a oeste por Viseu, a sul por Penalva do Castelo e a este por Aguiar da Beira, que pertence ao distrito da Guarda.
Possui um clima mediterrânico com feição continental, apresentando Invernos frios e Verões quentes e secos.
A sua morfologia é bastante acidentada, destacando-se, como áreas de maior altitude, Laje de São Domingos (525 m), Covelo de Cima (822 m), Facho (733 m) e Serra Alta (745 m). Embora o relevo seja cortado pelo Vouga e pela ribeira de Sátão, as abas montanhosas sobem, a norte, pela serra da Lapa e pelo planalto da Nave. Turisticamente, estão definidas rotas em três linhas diferenciadas: a Rota do Sol, a Estrada do Nascente e as Terras do Alto Vouga.
Como recursos hídricos, possui o rio Vouga, o rio Sátão e o rio Coja.

 

O concelho resultou da fusão dos municípios de Gulfar e de Ferreira de Aves, ambos, provavelmente, anteriores à nacionalidade.
Recebeu foral em 1111, outorgado pelo conde D. Henrique e por D. Teresa, o qual foi confirmado em 1218 por D. Afonso II.
Em 1708 Sátão seria a vila da igreja-vigairaria, do padroado real e da comenda da Ordem de Cristo, contando, segundo dados da época, com um elevado número de fogos (276).
Ao nível do património histórico e arquitectónico, destaca-se o Santuário de Nossa Senhora da Oliva, fundado em 1633, cuja igreja é o que resta de um antigo convento de dominicanas. O retábulo do altar-mor é de talha joanina, sendo datado da terceira década do século XVIII. As paredes da capela-mor são revestidas a azulejos policromos do tipo tapete do século XVI. Da imaginária destacam-se duas esculturas, estofadas e douradas: a de Nossa Senhora da Oliva e a de Nossa Senhora do Rosário, ambas do século XVII.
São de referir ainda a Capela de Contige, que apresenta trabalhos de primorosa talha, e o santuário penitencial do Senhor dos Caminhos.

 

No concelho predominam as actividades ligadas ao sector primário, seguidas das do secundário, na área das indústrias de mobiliário, têxtil, de mármores e granitos, de tintas e de louças, e só depois das do sector terciário.
No que se refere à actividade agrícola, predominam os cultivos de cereais para grão, leguminosas secas para grão, prados temporários e culturas forrageiras, batata, prados, pastagens permanentes e vinha. A pecuária tem também alguma importância, nomeadamente na criação de suínos, coelhos e aves. Cerca de 43,2% (2563 ha) do seu território está coberto de floresta.

 

topo
pesquisa
o que procura
onde
sombra