escapadinhas
Terras de Bouro - Gerês
line
Geira Via Romana XVIII
foto Geira Via Romana XVIII

 

 

 

 

A Geira é o nome popular da VIA NOVA, também conhecida por Via XVIII do Itinerário de Antonino, um caminho romano que ligava duas importantes cidades do Noroeste da Península Ibérica: Bracara Augusta, actual cidade de Braga, em Portugal e a cidade de Asturica Augusta, hoje Astorga, em Espanha.

 

Esta Via romana ligava estas duas importantes cidades num trajecto de CCXV milhas, aproximadamente 318 km. A Geira, ou VIA NOVA foi inaugurada, provavelmente, no final do século I d.C., por volta do ano 80, sob a égide de Tito e Domiciano.

 

Acredita-se que a construção da VIA NOVA veio reforçar a rede viária romana, conferiu maior mobilidade aos exércitos, permitiu um reordenamento do território e possibilitou uma maior actividade mineira e transição destes bens (sobretudo a circulação do ouro das Minas de Las Medulas, conjunto classificado como Património Mundial da Humanidade).

 

A VIA NOVA conhece um traçado em diagonal que liga o triângulo político-administrativo e viário estabelecido por Augusto, com vértices nas três cidades: Bracara Augusta, Lucus Augusti e Asturica Augusta.

 

A Geira saía de Bracara Augusta, passando actualmente pela zona do Areal, seguindo por Adaúfe, entrava no Concelho de Amares com a travessia do Rio Cávado em Barca de Âncede, e seguia pelas localidade de Caires e Paredes Secas e ao chegar ao Lugar de Santa Cruz, entrava então no Concelho de Terras de Bouro. Neste Concelho, a Geira está muito bem conservada ao nivel do seu traçado e dos seus vestígios arqueológicos. Em Terras de Bouro a Geira percorre as freguesias de Souto, Balança, Chorense, Vilar, Chamoim, Covide, Campo do Gerês e chega, por fim, à Portela do Homem, seguindo depois em território espanhol.

 

Em Terras de Bouro, os vestígios arqueológicos são impressionantes:

 

Existem mais de 150 miliários, que assinalavam as milhas na Via e davam a conhecer, ao viajante, a distância até à cidade mais próxima. Além dos miliários, em Terras de Bouro é possível vislumbrar vestígios das Pontes Romanas (sobre o Ribeiro da Maceira, Ribeira do Forno, Ribeiro de Monção e a Ponte de S. Miguel, sobre o Rio Homem), calçadas com marcas de rodados, pedreiras de onde foram extraídos miliários e blocos de pedra para construir as pontes. Começam, também, a ser descobertos vestígios arqueológicos de pequenos povoados indígenas ou de apoio à construção da Via, que atestam a importância desta Via.

 

O nome original da VIA NOVA (que pode ser lido em vários miliários que conservam esta inscrição) advém de já haver uma outra via que seguia também de Bracara Augusta para Asturica Augusta. Contudo o seu traçado era bastante diferente, seguindo por Aquae Flaviae (Chaves). Esta Via, com mais milhas do que a Geira, foi catalogada como Via XVII no Itinerário de Antonino.

 

Por esta Via estar muito bem preservada, o Município de Terras de Bouro está a desenvolver, conjuntamente com dez outros parceiros, onde se incluem municípios, universidades e regiões de turismo, um projecto de recuperação e valorização da VIA NOVA. Espera-se instruir, após as acções de recuperação, o processo de candidatura a Património Mundial da Humanidade. Este conjunto arqueológico inserido numa das mais belas paisagens europeias (zona classificada do Parque Nacional da Peneda Gerês), merece ser visitado. 

 

    




line
line

topo
o que procura
onde
sombra
pesquisa
sombra
sombra

sombra


sombra