escapadinhas
Castro Marim
line
Salinas de Castro Marim
foto Salinas de Castro Marim

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Não se sabe ao certo quando terá começado a história do sal em Castro Marim, havendo até dúvidas que a exploração das salinas no estuário do Guadiana, tenha sido desde sempre realizada na área que actualmente conhecemos, pois a dinâmica costeira do extremo este do Sotavento foi bastante intensa.

Apesar destas dúvidas é inequívoco que Castro Marim foi desde sempre uma terra de sal, cuja produção terá sido essencialmente destinada às actividades piscatórias que durante séculos encabeçaram a economia regional e nas quais avultaram, num primeiro tempo, as armações de atum ? as célebres almadravas - e, numa segunda fase, a pesca da sardinha associada à indústria conserveira.

Na história recente, muito embora Castro Marim tenha sofrido um processo de abandono e transformação das salinas, semelhante ao que aconteceu em todos os salgados portugueses, veio a verificar-se localmente um movimento pioneiro em Portugal de experiências de recuperação das salinas tradicionais e da valorização económica do produto ?sal marinho artesanal? e da exploração de um novo produto: a flor do sal. No cerne destas acções esteve a organização dos produtores em torno de uma associação, a TradiSal (Associação de Produtores de Sal Marinho Tradicional do Sotavento Algarvio), a qual iniciou um processo de certificação do produto, a formação de salineiros, e a comercialização de outros produtos, que não o sal, associados às salinas (flora halófita com fins alimentares).

Envolvendo uma parte da vila e abrindo-se em amplos panoramas a partir do castelo, as salinas e os sapais do Guadiana constituem, conjuntamente com o núcleo urbano de Castro Marim e os seus exemplos de arquitectura popular, militar e religiosa, um conjunto particularmente interessante do ponto de vista paisagístico.

Acresce ainda que o estuário, apesar da sua dimensão relativamente pequena, constitui um importante local para a Conservação da Natureza sendo simultaneamente uma Reserva Natural e uma ZPE. O conjunto das suas salinas albergam as mais significativas populações portuguesas de aves aquáticas que nidificam nestes locais, merecendo particular destaque o alfaiate Recurvirostra avoceta. A posição geográfica do estuário parece também ser determinante para a ocorrência de importantes populações de aves em passagem migratória que compreendem, entre muitas outras, borrelhos, pilritos, tarambolas, maçaricos e diversas espécies e patos.

Localmente o Projecto INTERREG ? SAL está representado por dois parceiros, respectivamente o Município de Castro Marim, cujas principais responsabilidades são a recuperação de uma marinha com fins demonstrativos e a adaptação e requalificação de um antigo armazém para museu do sal, sendo o segundo parceiro constituído pela Tradisal, cujo âmbito de actuação abarca sobretudo as acções 2 e 3 referentes à valorização dos produtos das salinas tradicionais, e à organização e formação dos produtores.




line
line

topo
o que procura
onde
sombra
pesquisa
sombra
sombra

sombra